Momentos

Momentos perdidos

Momentos encontrados

Na estranheza do ser encontro Paz

Essa Paz tão valorizada e procurada

Encontro sem temer o meu caminho

A rota que devo seguir

O rumo por fim encontrado

Encontro assim o meu destino

A minha forma de estar e sentir

Cominho para criar e desbravar

Encontrar o que espero

Certamente será utopico

O caminho devo procurar e encontrar

Só assim poderei viver o meu verdadeiro propósito

Porque só assim

Encontrarei a Paz

A Paz que tanto procuro

E que sempre me escapa

Anúncios

Memórias

Memórias de quem parte e de quem fica
Memórias perdidas no tempo e na lembrança do passado
Memórias que aparecem
Memórias que se tornam vivas
Assim que assolam a nossa mente
Memórias infinitas de um tempo passado
Uma memória longínqua
Uma memória esquecida que se torna real
Uma memória de um passado esquecido
Que se torna tão presente quanto o presente em si
Memórias
Tudo o que nos restam são memórias
Memórias de outros tempos e outras realidades
Memórias relembradas
Que tornam o momento mais real
Onde a presença impera
Apesar de a vida não estar
Só a memória fica
E a aprendizagem adquirida
Memórias infinitas ficam como excertos de um filme
De um filme com a película danificada
Apenas os excertos permanecem que o tempo levará
Escertos de uma memória viva
Que perde o rumo da história
A memória fica com o sorriso da derrota
Do inesquecível tempo que passa sem parar
Ficará a recordação da bolacha e da simpatia no olhar
Ficará e permanecerá esse excerto
E nada o apagará

Memórias

As memória voltam quando menos esperamos

As amizades antigas voltam sem avisar

Como um leve bater na porta

Que bem sabe voltar a ver

Voltar a sentir

Reviver os momentos

Será que estamos diferentes?

Sim, claro que sim

A vida acontece

E não para de acontecer

Mas reviver as vezes também é viver

Obrigado a todos que passaram

E também aos que passarão

Eu sou

Acordei a pensar que seria

Que seria esta vontade

Este prazer

Que seria esta alegria

Que seria

Que seria este sorriso dos meus lábios

Este prazer que sinto

Que será

Que será esta sensação

Que será este sorriso do meu ser

Serei eu que me reconheço

Será isso que me faz feliz e sorrir

Se assim for, que magnífica sensação

Que sensação deliciosa

Que prazer delicioso

Bem-vindo sejas e permanece

Que és bem vindo

Perdido (2)

Na penumbra perdido estou

Sem saber o que fazer

Ir ou não ir

Que fazer?

Que pensar perante o desafio

Outro engano ou oportunidade?

Que será?

Que sinto?

Que devo fazer?

Seguir ou seguir

Pois bem a resposta foi dada

Seguir

Não tenho nada a perder

Apenas a Aprender

Macia (2)

Quando pensamos na aspereza da vida

Perguntamos porque é tudo tão difícil às vezes

Perguntamos porque desta vez não pode ser mais fácil

Porque lutamos tanto para um resultado tão previsível

Será porque não estamos a agir corretamente?

Será que nos negamos a alterar a forma de criar?

Fazendo pequenas alterações na esperança que seja suficiente?

Parece-me que a última é verdadeira

Não mudamos grande coisa mas esperamos um resultado diferente

Recusamos as grandes alterações

Não as queremos

Achamos que não precisamos de mudar

Mas como esperar resultados se não mudamos a essência da existência

Não podemos esperar mudanças sem alterar nada

Alterar a essência para transformar a passagem tornando-a macia

Tão difícil e tão simples

Resistir sem razão

Apenas para tornar tudo difícil

Mudar mudar e tornar a mudar

Não resta qualquer dúvida

Só mudando é que a viagem é macia

Reiniciar a forma de pensar

A forma de atuar

É o que nos resta

No caminho para casa

A caminho de casa penso

Penso em como seria e não seria

Penso nas alternativas todas

Penso em como fazer e não fazer

E mais uma vez penso

Não paro de pensar

Entro sempre no abismo da mente

Não consigo parar

Porque não me apercebi que deixei de viver o momento

Estou numa frequência invisível e iniexistente

Numa dimensão onde nada existe

Crio o meu castelo de cartas e não me liberto

Não deixo fluir a realidade

O momento presente

Encerro-o

Prendo-o

Sem razão

Apenas porque me habituei a isso

A essa “realidade” que não existe

No caminho para casa penso

Paro

Desfruto o momento e capturo-o

E aí reparo que estou a viver o momento

Estou no presente

E fico em paz

Mistery Blogger Award

Hoje fiquei muito surpreendido quando reparei que fui “nomeado” pela Alda do blog Vida, Intensa Vida! para o prémio ‘Mystery Blogger Award’.

É sempre um prazer ter alguém que nos “ouve”, obrigado Alda.

O que é o Mystery Blogger Award?

O ‘Mystery Blogger Award’ é um prêmio para blogueiros incríveis com postagens engenhosas. Seu blog não só cativa; Ele inspira e motiva. Eles são um dos melhores lá fora e eles merecem todo reconhecimento que eles conseguem. Este prêmio também é para blogueiros que acham diversão e inspiração em blogs e fazem isso com tanto amor e paixão. ~ Okoto Enigma.

Como ele funciona?

  • Coloque o logo / imagem do prêmio no seu blog
  • Listar as regras
  • Agradecer a quem o nomeou e forneça um link para seu blog
  • Mencionar o criador do prêmio
  • Conte a seus leitores 3 coisas sobre você
  • Nomeie até 10 pessoas
  • Notificar os seus indicados comentando no seu blog
  • Peça a seus candidatos cinco questões de sua escolha; Com uma pergunta estranha ou engraçada
  • Compartilhe um link para suas melhores postagens

mystery-blogger-award-badge-2

Contar 3 coisas sobre mim, aqui vai

1 – Hoje fiz uma sesta bem merecida após uma noite em claro 🙂

2 – Surpreendido como o universo nos mostra a simplicidade da vida

3 – Acredito na felicidade graças à minha cara metade

 

Agora, responder às perguntas da Alda

 1- Mar, lago ou rio?

Mar, sempre o mar

2- Qual a razão de sua existência?

Ainda está a ser descoberta

3- Qual a característica que mais amaria encontrar numa pessoa?

Já encontrei, a generosidade

4- Se tivesse que salvar uma única pessoa no mundo, exceto a si mesmo, quem você salvaria?

Essa é bem difícil de responder, só uma!!! Desculpa Alda mas para mim é impossível escolher só uma. Tenho muitas pessoas comigo 🙂

5- Amar é…

Um mar de afectos

 

O link para o meu melhor post, ora bem, será o primeiro do meu blog continua a estar em sintonia comigo Alaincvb e um urinol

 

E agora, quem indicar?

 

As cinco questões

  1. Quando foi a ultima vez que olhaste para ti?
  2. Quando foi a ultima vez que paraste a ver o por do sol?
  3. E as estrelas?
  4. Como descrevias as pessoas que te rodeiam?
  5.  Mundo de Amor: Utopia, realidade ou possibilidade?

 

Tudo de bom!!!

Alain

 

 

 

 

Macia

Quando a experiência nos falta o que nos resta?

Não sabemos reagir

Nada

É muito difícil saber o que fazer

O que fazer perante o desconhecido?

Que aprendizagem nos espera?

Esse mundo assustador da incerteza

Esse mundo desorganizado

Inóspito

Sem referência nos nossos arquivos

Pois bem

Só resta aprender coisas novas e transforma-las em conhecimento

Só assim nos libertamos

Não conseguimos sair da teia do conhecimento

Do palpável

Do sentimento agradável de bem estar

De saber a resposta

Mas

Que tal experimentar outras sensações

Outros prazeres

Que medo!

Sentimos medo do desconhecido

Da criação pura

Do novo sentimento

E porquê?

Por nada, afinal a vida pode ser macia

Não rugosa e espinhosa como sempre imaginamos

Pode ser macia se assim quisermos

Se assim a deixarmos

Macia

Vamos deixar a vida ser macia?